Tag Archives: vendas

05 jun 2017

Com estratégia omnichannel, Grupo Boticário quadruplica vendas

Diretor da companhia cita detalhes da jornada digital e internacionalização do modelo

A adoção de um modelo omnichannel, tendência do varejo que converge os canais de vendas utilizados por uma empresa, impulsionou as vendas do Grupo Boticário em quatro vezes. A informação foi compartilhada por Guilherme Farinelli, diretor de e-commerce e estratégia digital da companhia, durante participação no VtexDay, evento com foco em e-commerce e varejo, realizado dia 31 de maio, quarta-feira em São Paulo (SP).

Farinelli relembrou as fases do grupo, que nasceu com um modelo single channel apenas com lojas físicas, depois passou para multicanais, englobando website, lojas e revendedoras. Na sequência, a companhia avançou para o modelo crosschannel, em que os canais são integrados, mas de forma independente, até chegar à transição para o omnichannel, que, segundo o executivo, coloca o cliente no centro de tudo e faz com que sua experiência seja única.

“O ponto principal de aprendizado dessa transição é que percebemos que é preciso conhecer primeiro seu consumidor e seu negócio. A tentação de fazer tudo ao mesmo tempo é grande e você precisa priorizar o que o cliente vê valor”, comentou.

Um dos focos da empresa é o avanço em canais digitais, mas o grupo atua em um mercado com clientes que ainda procuram os canais físicos. Por isso o papel do comércio eletrônico é diferente e não tão “agressivo” quanto em outros mercados. “A maior parte da receita no Brasil está na loja física e na experiência. O consumidor quer experimentar os produtos. Para nós o e-commerce, sim, é receita, mas mais um canal para experiências e de como levar o tráfego para as lojas”, afirmou o executivo.

“O cliente hoje vê uma propaganda na TV, procura na internet e pode comprar na loja também. Ele já espera essa integração de canais. Quer se comunicar com a minha marca, não com o canal”, disse, exemplificando o principal papel do modelo omnichannel: fazer com que o consumidor não sinta diferença entre o mundo on-line e o físico.

Jornada e inovação Farinelli comenta que é impossível “dormir” single channel e “acordar” no dia seguinte omnichannel. “É uma jornada de pequenos projetos. Uma das culturas é o fail fast, ou seja, errar rápido e aprender com isso”, destacou.

Nesse ponto, ele conta que a cultura digital do grupo ajudou no processo. “Temos uma cultura de startup dentro do nosso negócio. É uma agenda que precisa ser puxada dentro da organização. Empresas de sucesso têm mostrado que errar faz parte. É aprendizado para empreender e inovar. Você não gera inovação sem errar.”

Com a ideia de inovação rápida e cultura de startups, a companhia abriu recentemente o BotLab, área de inovação com foco em desenvolvimento de soluções com agilidade. “O BotLab nos permite errar e testar. Convidamos startups para participar conosco dessa jornada. Além de ganhar agilidade e conhecimento, trazemos inovação para dentro de casa e ajudamos o país a fomentar empreendedores.”

Internacionalização Além dos negócios consolidados no Brasil, com quatro marcas (O Boticário, Eudora, The Beauty Box e Quem disse, Berenice?), o grupo atua em outros 11 países, sendo os principais no exterior Portugal, EUA e Colômbia.

Como desafios para aplicar uma operação de e-commerce internacionalmente, o executivo cita questões como adaptação a novos mercados, padronização de interface e escabilidade/modularidade de soluções.

O primeiro case integrado que colocou à prova essas questões foi a chegada da marca “Quem disse, Berenice?” a Portugal, com abertura de lojas e vendas on-line ao mesmo tempo. Farinelli explica que, para viabilizar o projeto, o grupo apostou na plataforma de e-commerce da Vtex, que, por ser aberta, permite personalização. “O front end tem o mesmo código base, a plataforma é aberta por meio de APIs e o gateway unificado”, detalhou.

Fonte: http://www.itforum365.com.br
12 maio 2017

Aplicativos: por que investir nesta ferramenta para o meu negócio?

Sabe por que a sua empresa deve investir em um app em 2017? O número de pessoas que utilizam tablets e smartphones aumentou consideravelmente nos últimos anos, e isso vem mudando a forma de interagir entre os consumidores e empresas prestadores de serviços.

De acordo com a pesquisa feita pela App Olympics produzido pela Cheetah Mobile, cada brasileiro usa, em média, 29,23 aplicativos por mês. A quantidade de vezes que os aplicativos são abertos é de 53,62 aplicativos por mês. Em comparação com a média global, o estudo mostra que cada usuário usa 27 aplicativos por mês e possui engajamento com 39 aplicativos. É muita coisa, não é?

E se você deseja alavancar e divulgar o seu negócio, já pensou na criação de um app? Hoje em dia, as pessoas preferem os dispositivos móveis pela praticidade.

Quer saber as razões para ter um app? Se liga!

1 – Inovação

Certamente, você deseja fidelizar os seus consumidores, não é? Por isso, você deve se esforçar para que o seu serviço seja diferente dos outros. Hoje, as principais empresas de qualquer ramo possuem um aplicativo e, por isso, elas proporcionam uma experiência diferente, simples e eficiente para os seus usuários, se destacando dos seus concorrentes. Se você ficar parado no tempo, está fadado ao fracasso. Pense nisso!

2 – Proximidade com o usuário

Você deve reconhecer quais são as expectativas do ramo seu negócio para poder adaptar em benefício à sua empresa. Quando você desenvolve um aplicativo para o seu negócio, você pode fazer uma campanha destinada para cada usuário, de acordo com os seus gostos. Essa proximidade faz com que você interaja sem intermédios e conheça as preferências – fazendo com que a sua empresa aumente ainda mais. O aplicativo também pode fornecer aos usuários a localização, idade e histórico no aplicativo, com isso, você consegue prestar um serviço diferenciado.

3 – Mais tempo conectado com a sua empresa

Como o mundo inteiro está conectado, você precisa entrar nessa para trazer benefícios para a sua empresa. Quando você interage com os seus clientes, você cria um relacionamento com eles, fazendo com que eles passem mais tempo conectados ao seu app, o que dá mais visibilidade para o seu negócio.

4 – Consegue vender mais facilmente

Os aplicativos facilitaram as vendas fazendo com as pessoas mudassem a forma de comprar. Com um app, você consegue fornecer informações mais precisas sobre o seu produto e serviço e impulsiona mais rapidamente as vendas do seu negócio.

5 – Fidelização de clientes

Para permanecer no mercado, você tem que ter uma visão a longo prazo. Por exemplo, se o seu público são jovens não tem como atraí-los com uma tecnologia ultrapassada, certo? Então, esteja por dentro das novas tecnologias! A maioria deles utilizam os smartphones para diversas funções do dia a dia. Essa é uma das formas mais eficazes de fidelizar o seu cliente!

Já te conseguimos te convencer que o app é uma das melhores formas de vendas.

Está esperando o que para investir? Não perca tempo! 

Saiba quanto custa tirar seu preto do papel, use nossa calculadora gratuitamente!

13 mar 2017

Como atrair novos clientes usando a tecnologia?

Fazer com que a sua marca seja consolidada na internet não é uma tarefa fácil. Existem inúmeras plataformas on-line para ajudar neste processo, porém existe uma barreira que é a mais difícil de alcançar: o público.

E aí, será que você sabe como atrair clientes e seguidores para o seu negócio?

Em uma era onde as pessoas estão super conectadas, os rastros digitais (registros que a pessoa acumula ao longo da vida na internet, seja em sites de pesquisas, grupos abertos e fechados, e em todo e qualquer tipo de rede social. Geralmente, são informações que, com o passar dos anos, acabam esquecidas) são fatores decisivos para a eficiência de uma estratégia de Marketing. E com o grande número desse tipo de informação, só com o auxílio da inteligência artificial para transformar esses dados em conhecimento.

Quer saber as quatro tendências que começarão a se consolidar no ano de 2017 para prospectar novos clientes?

1 – Dados

Que nós estamos cada dia mais conectados não é novidade para ninguém. Os dados captados sobre os nossos consumidores são importantes para entender o que eles buscam e que estratégias podem ser desenvolvidas para conquistá-los. Com os resultados obtidos, a área de Marketing validam as suas ações e objetivos.

Porém, isso não vale especificamente para o Marketing. O departamento de vendas também precisa desses dados para propor novas estratégias para os clientes. Os dois setores trabalhando juntos é a garantia do sucesso da empresa!

2 – B2B e B2C

As pessoas da área de Marketing conseguem analisar os dados e insights ao longo de todo o histórico online do cliente, o que melhora os processos de vendas.

Mas, para chegar lá no topo, esses profissionais precisam entender todos os caminhos que o consumidor pode chegar.

Se a empresa for B2B, é ideal que as estratégias de engajamento sejam bem mais sucedidas para os comerciantes B2C.

E os comerciantes que estão direcionados aos consumidores (B2C), é essencial manter o funil de vendas, estratégicas de gerenciamento para novos clientes e pontos de contato do consumidor que orientam os comerciantes B2B em mente.

Quando os clientes são fidelizados, a capacidade de mapear as suas ofertas ficam mais fáceis. O CMO (Diretor de Marketing) precisa avaliar atenciosamente o conteúdo que trabalha bem em todo o funil de vendas para entregar resultados consistentes e descobrir os potenciais clientes através da sua primeira compra. Isso serve para B2B e B2C.

3 – Martech

Hoje a palavra de ordem é: redução. Mas, como você reduz custos e aumenta a receita do negócio? Por isso, surge a necessidade de ecossistemas mais inovadores e conectados capazes de compilar os dados, fazendo com que as ferramentas seja mais eficiente e eficaz.

Aos poucos, a maioria dos profissionais ainda terá sistemas de automação de marketing e CRM separados, mas a duplicação de outros softwares irá diminuir porque os líderes exigirão um controle mais centralizado dos dados dos clientes. Isso garantirá muitos benefícios para o negócio (menos ferramentas = menos relatórios diferentes).

Além de cada área da empresa, poderá basear-se em suas decisões nos mesmos dados, incluindo redução de custos e impacto no crescimento da receita.

4 – CMO E CIO

Com a tecnologia, o processo de formulação e decisão das estratégias de Marketing ficaram mais fáceis. Para isso, é importante a união ainda mais dos profissionais de Marketing com os de Tecnologia da Informação.

Os dois precisam conseguir uma visão consolidada das informações dos clientes, o que requer TI, Marketing e até mesmo vendas e outros departamentos para garantir um conjunto de dados para cada grupo.

Se isso é alcançado, as áreas precisam se alinhar também em torno de um conjunto de métricas e estratégias para trabalhar em prol do mesmo objetivo.

Essa união irá fazer com que o papel do CMO mude rapidamente. E com o Martech se consolidando e a visão dos dados da empresa, as informações poderão ser mapeadas com precisão e usadas para acelerar o processo de vendas.

Assim, o profissional de Marketing já estará ciente de todos os passos na hora da compra e como isso afeta o processo de Marketing.

Se você quer entender melhor como funciona essas tendências, basta entrar em contato com a gente!

16 ago 2016

Multi Channel, Cross Channel e Omni Channel, entenda a diferença

Hoje, ter um único canal de venda já não é suficiente. As pessoas estão cada vez mais conectadas e buscam opções, e a marca que não estiver preparada pra isso vai ficar para trás.

Se tratando de venda e experiência de compra, já faz um tempo que temos três principais definições de “canais”.

Descubra a diferença entre eles: Multi Channel, Cross Channel e Omni Channel.

Multi Channel

Diferente do single channel, multi channel caracteriza qualquer plataforma que trabalhe com mais de um canal.

Exemplo: Uma pessoa pode adquirir um produto em lojas físicas , sites e commerce , resposta de voz interativa (IVR) de telefone , e-mail ou aplicativos móveis .

Ser multi channel hoje é dar possibilidades,  é ter seus produtos mais expostos para o consumidor em situações e momentos diferentes.

Quem lembra daquelas vendas por  catálogos em que somente revendedoras podiam fazer os pedidos dos produtos? Pois é… não mais.

Hoje a maioria das vezes, existe  uma distribuidora física ou a opção de compra online.

Cross Channel

Uma evolução do sistema multi cannel, é uma forma de interação entre esses canais, que ajudam a suavizar a experiência de usuários, onde mais de um  canal é usado para a mesma transação.

Canais deixam de ser concorrentes e acabam de tornando complementares.

Exemplo: O cliente pode ler sobre um produto em um catálogo, pesquisar e comprá-lo online, ou buscá-lo em uma loja física, interagindo de forma eficaz através de vários canais, desde a informação até a compra efetiva.

Pode também ganhar um cupom de desconto para comprar roupas, ir prova las na loja e finalizar a compra online para não perder lo.

Existem também as empresas que optam por liberar esse benefício através de prints no próprio celular.

A pessoa também pode fazer uma compra por um dispositivo e optar por retirar em uma loja física.

Omni Channel

Caracteriza a utilização de mais de um canal simultaneamente*. É uma estratégia que estreita o a venda on e off line, muitas vezes mesclando a.

O cliente se torna o centro do processo, tendo todas as facilidades colocadas a sua frente.

Nesse tipo de canal, as ofertas são dispostas baseadas em seus gostos e experiências, identificadas através de histórico de compras, contatos e dados diversos (Redes sociais, cadastro por formulários, cadastros feitos em balcões em loja física…) , sua forma favorita de comprar e já se mostrar nesse canal.

Exemplo: Um cliente que faz contatos com a empresa através de seu telefone celular, irá receber alertas de voz, já que a plataforma identificou-o como o meio preferido.

Existe também o uso simultâneo de canais no ato da compra, quando temos por exemplo, em uma loja física o uso de tablets próximos aos produtos, com sistema desenvolvido para mostrar informações de dentro e fora do site, depoimentos, e dúvidas frequentes, as vezes substituindo o próprio vendedor.

Há também as que vão além e utilizam de tecnologias de inteligência superior, como esse app que simulam a sala do cliente com o móvel da loja.

Vendas se misturam em on/off em momentos em que o cliente vai até uma loja, não encontra o produto específico, mas já sai de la com a compra realizada online pelo ‘charmoso’ vendedor.

Fonte: Plugcitários

16 ago 2016

Cross-Channel Marketing: esta é a estratégia certa para o seu negócio?

Levante a mão quem nunca ouviu falar do marketing “cross-channel”.

Agora levante a mão ainda mais alto se você entende os prós e contras de criar uma campanha cross-channel bem-sucedida.

As chances são poucas de você se encaixar na segunda opção. O marketing cross-channel é uma abordagem relativamente nova que está evoluindo tão rápido quanto o surgimento de novos canais de vendas.

Além disso, encontrar a fórmula para o sucesso pode ser complicado. Mas não é impossível, principalmente se você compreende os desafios, benefícios e estratégias.

Pela definição, marketing cross-channel parece realmente simples. É apenas a prática de usar vários tipos de mídia para atingir os consumidores.

Mas isso pode ser bem complicado, não é? Enviar um e-mail, distribuir cartões postais, postar anúncios no Facebook e fim de papo.

Isto é apenas um exemplo de marketing cross-channel, mas os clientes esperam muito das empresas que compram… e uma campanha desarticulada pode fazer mais mal do que bem.

A maioria dos clientes não pensam especificamente se suas lojas favoritas estão chegando a eles através de vários canais, mas eles percebem a conveniência.

Eles querem lidar com empresas que entendem o que eles querem, quando eles querem, e como eles gostam de receber essa informação.

Jogar todos os tipos de informações para eles com a esperança de que algo vai ficar, não vai funcionar.

É por isso que entender os desafios, benefícios e estratégias de marketing de cross-channel pode te dar uma vantagem sobre seus concorrentes.

Os desafios

Com tantas formas diferentes de atingir os consumidores, é fácil identificar os potenciais desafios do marketing cross-channel:

  • Requer muita coordenação – Se você for usar várias formas de mídia para alcançar seus clientes, é importante construir uma campanha consistente em todas as mídias escolhidas. Em outras palavras, esforços bem-sucedidos de cross-channel exigem promoções cruzadas que constroem um do outro.
  • Nem todas as empresas precisam usar todas as formas de mídia. Seu negócio pode não precisar de rádio ou televisão, por exemplo. Talvez ele precise apenas das mídias sociais e do telefone. Entender os canais favoritos dos seus clientes é fundamental.
  • Esteja preparado para gastar muito tempo (e talvez dinheiro) – Com tantos detalhes para coordenar, é bem provável que você precise dedicar um tempo significativo para garantir que cada canal utilizado está sendo alimentado, além do outro canal. Será que isso significa mais gente na equipe? Talvez. Será que vai exigir testes e re-testes, muito provável que sim.

Os benefícios

Embora os desafios do marketing cross-channel possam assustar algumas pessoas que acompanham o assunto à distância, os benefícios podem atraí-los de volta nos seguintes casos:

  • O marketing cross-channel pode levar ao aumento do reconhecimento da marca – Alcançando os clientes através de vários meios, você está reforçando a sua marca através de múltiplos pontos de contato na vida do consumidor. Pense sobre o potencial de superar sua concorrência, não só alcançar mais clientes, mas tornar-se uma marca mais reconhecida.
  • Você recebe dados importantes do cliente – Oferecendo ao seu consumidor escolhas para interagir com a sua organização você conseguirá dados extremamente valiosos que servirão para alcançá-lo em estratégias de marketing futuras. Se você sabe que um determinado grupo de clientes nunca responde às suas notificações de e-mail, mas ama suas atualizações no celular, você está um passo à frente de melhorar suas taxas de conversão (e de diminuir o seu tempo e sua energia em “leads frios”).

Etapas do Sucesso 

Nós já comprovamos que o sucesso com marketing cross-channel começa e termina com dados/monitoramento. Para isso, aqui estão três estratégias que podem ajudar você a melhorar suas conexões e conversões:

  • Combine seus esforços em cross-channel – Uma das melhores maneiras de medir a eficácia de seus esforços no cross-channel é testando os canais através de comunicações semelhantes. Por exemplo, se você incluir o seu número de telefone e endereço do site em uma campanha de e-mail, vai precisar remover o número de telefone de outra campanha de e-mail (mas deixar o restante igual). Isso vai ajudar a revelar a relevância de seus contatos telefônicos.
  • Comunicação interna – Cross – O marketing cross-channel muitas vezes envolve uma variedade de diferentes líderes de equipe. Uma pessoa para as redes sociais. Outra para veículos impressos.Uma para TV. Outra para web, etc. Assim, é crucial para essas equipes o diálogo frequente e entrosado que garanta a coesão da campanha. Eu ouvi uma história recentemente que uma empresa usou um endereço de um site em sua campanha de e-mail, mas um diferente em suas estratégias de mídia social. Mesmo que os endereços levassem para o mesmo site, os clientes que receberam as campanhas não tinha ideia de qual era a certa. A reputação da empresa pautada pela clareza e profissionalismo foi manchada.
  • Considere o cliente – Com o marketing cross-channel, o sucesso depende da sua capacidade de atingir os consumidores da forma e no momento que eles querem ser atingidos. Por isso, configure suas métricas para que elas meçam os canais (ou combinações de canais), que levam aos melhores resultados, bem como a efetividade do timing de suas comunicações.

Sabendo que os clientes normalmente precisam de vários pontos de contato antes de sinalizarem uma compra, o marketing cross-channel tem o potencial de aumentar as suas conversões ao mesmo tempo que melhora a experiência do cliente. Mas, como muitas coisas na vida, o sucesso provavelmente vai levar tempo, energia e visão. Você está pronto?

Fonte: Ecommerce brasil