O que aprendemos com a queda das redes sociais

BLOG
05-07-2019

O que aprendemos com a queda das redes sociais

Nesta quarta-feira (3), as redes sociais de Mark Zuckerberg apresentaram falhas no mundo todo. Usuários relataram que as imagens, vídeos, áudios, GIFs e adesivos não estavam rodando no Facebook, Instagram e WhatsApp.

De acordo com o site Downdetector, que mapeia instabilidade em portais, várias pessoas no sudeste do Brasil, sul do Uruguai, norte da Europa e em parte dos EUA foram afetadas. As primeiras manifestações aconteceram pela manhã, por volta das 10h, no horário de Brasília, e tiveram pico entre 11h e 14h.

Às 17h, o Facebook identificou que a instabilidade originou de uma “operação de manutenção de rotina”, durante a qual ocorreu um problema. Depois do dia todo balançando, a plataforma então emitiu um comunicado, já à noite, dizendo que o problema estava resolvido e pediu desculpas pelo inconveniente.

Onde sua empresa estava quando seus clientes e potenciais clientes te procuraram?

Se pensarmos em presença digital para uma empresa que está começando, criar um site ou uma página no Facebook já é um primeiro passo. Mas, Fanpage e website são ferramentas completamente diferentes.

Para um comércio, por exemplo, podemos entender o website como sua “porta aberta” no mundo digital. A partir dele, sua empresa passa a existir e ter credibilidade. Na era digital em que vivemos, uma empresa que não possui um website pode gerar desconfiança sobre sua real existência e a qualidade de seus produtos e serviços.

Já as redes sociais, independente da sua empresa ter uma página no Facebook, perfil no Instagram ou Company Page no Linkedin, funcionam como canais de relacionamento com possíveis clientes. Como elas possuem muitas informações sobre o comportamento das pessoas, se tornaram ótimas ferramentas de segmentação, atração e comunicação com quem quer que seja seu público-alvo.

Todo mundo usa o Facebook, mas investir em um website profissional próprio é colocar a sua empresa na internet. O website é propriedade da empresa. Depois que ele está publicado, só sofrerá alterações se e quando você assim o desejar. Não existem surpresas.

Estratégias de relacionamento

Há um tempo, o e-mail era considerado um retrocesso. Millennials deixariam de usá-lo. Plataformas de mensagens, sociais e de colaboração em equipe logo o substituiriam. E o mundo dos negócios acabaria por eliminá-lo. Bom, nada disso é realmente verdade. De fato, o email foi, é e continuará a ser superior aos novos meios de comunicação.

Com o objetivo de analisar esse canal, o Radicati Group, elaborou o, Email Statistics Report, relatório que traz informações atuais, além da previsão para os próximos quatro anos quanto ao uso do e-mail. Apesar de outras formas de comunicação como os chats e as redes sociais, estarem em expansão, a pesquisa demonstra que o e-mail ainda é o principal canal pelo qual as empresas se relacionam com os seus clientes.

Um fator que também deve ser levado em consideração para esse contínuo crescimento é que ter um endereço de e-mail é essencial, inclusive para utilizar outros canais como as mídias sociais. Você precisa ter uma conta de e-mail para conseguir ter um perfil na Facebook ou Instagram ou para fazer cadastro em site de e-commerce, por exemplo.

Presença digital

Sem dúvidas, o seu interesse é estar disponível com todos os seus serviços e produtos para atendê-los, não é verdade?

Mas como gerar negócios e fidelizar clientes sem um espaço realmente seu? As conversões como compra, aquisição e contratações se dão quase que exclusivamente através dos sites empresariais.

Quando você faz uma pesquisa no Google, por exemplo, o objetivo principal dele é exibir o melhor resultado sobre o que você está buscando, no menor tempo possível. Para isso, o Google utiliza diversas métricas para escolher o que será exibido em primeiro lugar.

Um site bem otimizado aumenta as chances de ser encontrado pelo Google que, por sua vez, irá exibi-lo para um número maior de pessoas, aumentando assim a presença digital da sua empresa.

Website ou redes sociais?

O fato de você possuir um site não exclui a necessidade da sua empresa de ter uma presença no Facebook ou em qualquer outra rede social. Vale a pena usar tudo que elas oferecem: Postagens, anúncios, formulários, rede de contatos, grupos, Stories, mensagens, eventos, vídeos, compartilhamentos, interações, “directs”, álbum de fotos, entre tantas outras.

Quanto mais próxima sua empresa estiver das pessoas, mas relevância você terá para elas. E de quebra, pode direcioná-las para um artigo do seu blog, por exemplo, e aumentar o tráfego do seu site com pessoas que realmente estão interessadas no que você tem a dizer.

As plataformas sociais facilitam e ajudam na divulgação e interatividade. O ideal é que o website e as mídias sociais se complementem, pois eles têm finalidades diferentes.

Posts Relacionados

Deixe um comentário